Ir para conteúdo
FCC

15h13

Apresentações da Oficina de Música foram vistas por 50 mil pessoas

Após 13 dias, chegou ao fim a 35ª Oficina de Música de Curitiba. Mais de 104 professores e 1.400 alunos do Brasil e exterior participaram de 96 cursos e 165 eventos em teatros, parques e terminais de ônibus. Os concertos reuniram cerca de 50 mil pessoas.

Cerca de 500 músicos, entre professores e alunos da Oficina, se apresentaram na noite desta quinta-feira (8/2), para o encerramento. O concerto, acompanhado pelo prefeito Rafael Greca e pela primeira-dama, Margarita Sansone, passou por Scherazade, de Rimsky-Korsakov, trechos da obra Porgy and Bess, de George Gershwin, e Lady Walton’s Garden para Viola e Orquestra, de Roberto Molinelli.

Marcou o início da apresentação o talento de Estefan Iatcekiw, pianista curitibano de 13 anos, vencedor do prêmio Prelúdio 2017, que executou obras de Franz Liszt e Brasílio Itiberê. “Nossa grande alegria foi que a cidade pode conhecer novamente as harmonias da ópera, da música erudita e da música popular. Hoje ouvimos obras maravilhosas, mas gostamos mesmo foi da apresentação do menino prodígio Estefan Iatcekiw, que vai estudar na Europa para depois voltar e elevar o nome de Curitiba”, afirmou o prefeito.

A professora de viola Anna Serova também foi destaque no concerto. A violista executou solos com primazia e surpreendeu o público quando dançou tango ao som da orquestra. Também participaram desta noite memorável a soprano Rosana Lamosa e o barítono Leonardo Neiva.

O curador e regente do concerto, Abel Rocha, elogiou a organização e infraestrutura do evento. “A gente quer devolver para a cidade tudo o que ela nos proporcionou e nos ofereceu em termos de competência musical e tradição. A Oficina de Música sempre foi uma referência para professores e alunos. Então, como forma de agradecimento a essa acolhida, mostramos um pouco do trabalho que foi desenvolvido”, ressaltou o maestro.

A advogada Ligia Bittencourt estava encantada com a qualidade e o talento dos músicos. "Difícil saber quem eram os alunos e quem eram os professores", conta. Ela considera a Oficina um evento importante para Curitiba, que atrai pessoas do Brasil e do mundo e que congrega os apaixonados por música. "Isso é muito válido", declarou a advogada, que levou a família para assistir ao concerto.

Lívia Miranda levou a mãe, Marina, e o filho, Joaquim. "Foi um espetáculo de alto nível", elogiou Lívia. A empresária paulistana veio à Curitiba especialmente para fazer oficina de piano. Participou do evento há 20 anos e observou a evolução da Oficina. "Era muito produtivo e os professores muito competentes. Fico feliz, pois continuam fazendo um excelente trabalho".

O encerramento da Oficina de Música foi comentado pelo diretor executivo do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac), Marino Galvão Jr.. “A Oficina termina muito fortalecida, com novas diretrizes, novos músicos, novos caminhos a percorrer”, disse.

 

Autor: Assessoria de Imprensa
Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Fale com a comunicação

Veja Também

Outras Notícias

Apresentações da Oficina de Música foram vistas por 50 mil pessoas

Continue lendo

Curitiba canta parabéns pelos 80 anos do sambista Martinho da Vila

Continue lendo

Vereadores conhecem modelo de gestão da 35ª Oficina de Música

Continue lendo

Último dia da programação tem maratona musical, ópera e pianista prodígio

Continue lendo

Greca e Martinho da Vila anunciam Carnaval de Curitiba

Continue lendo