Ir para conteúdo
FCC

15h14

Conservatório de MPB promove masterclass com Waltel Branco

Ícone da música brasileira, Waltel Branco apresenta em outubro masterclass no Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba. O curso voltado a músicos da cidade terá 8 encontros, sendo duas terças-feiras por mês até janeiro de 2017. A inscrição para dois encontros é de R$50, feita diretamente da secretaria do CPMB.

Cada encontro terá a participação ainda de um maestro convidado, regentes dos grupos artísticos do instituto e mediação do contrabaixista da Orquestra À Base de Corda, Rodrigo Marques. Um dos convidados para debater música com Waltel é o maestro João Egashira. “O Waltel fez com primazia tudo o que um músico deve fazer, com uma percepção incrível se destacou conquistando respeito pela qualidade de suas obras. Qualquer contato com artistas que chegam nesse patamar é uma escola! ”, esclarece Egashira.

Além de proporcionar o contato de novos músicos com os experientes artistas, o curso também pretende resgatar a memória e paralelamente fazer um registro da vida e obra deste compositor paranaense. “É uma oportunidade de conhecer um pouco da história de vida e principalmente musical deste músico tão representativo no Brasil e no mundo”, explica Sandra Dias, coordenadora do Conservatório de MPB.

Segundo o maestro Waltel Branco, na masterclass ele deve apresentar debates pouco discutidos e que faltam para os novos compositores. “O aluno tem que saber o que é a música, quero começar a falar a partir desse ponto”, explica Waltel Branco. “Não existe música boa ou ruim, existe aluno sem estudo, para se fazer música precisa estudar muito”, conclui o compositor que também foi arranjador nas gravações: “Azul da Cor do Mar” de Tim Maia, “Bastidores” de Caby Peixoto, “Faz Parte do Show” de Cazuza, e muitos outros sucessos. Também foi o responsável pelos arranjos de trilha sonoras das novelas da Globo, como: “O Bofe”, “Selva de Pedra”, “Escrava Isaura” e “Irmãos Coragem”.

Trajetória
Compositor, regente, arranjador, diretor musical, violonista, guitarrista, contrabaixista, cavaquinista, produtor musical e professor, especialista em trilhas para novelas e cinema, Waltel Branco é um dos principais músicos do Paraná. Consagrado pelo arranjo da trilha sonora da Pantera Cor-de-Rosa, de Henry Mancini.

Nasceu em Paranaguá, em 1929, iniciou-se na música aos 12 anos de idade. Teve como mestres Bento Mossurunga, Sebastião de Oliveira, Othon Saleiros e Oscar Cáceres (violão) , Padre Penalva (canto gregoriano) , Jorge Kosha (música clássica), Stanley Wilson (música incidental, em Nova Iorque) e Alceo Bocchino e Mário Tavares (regência), Paulo Silva e Cláudio Santoro (composição). Na Espanha, em Santiago de Compostela, estudou técnica instrumental por alguns meses com Andrés Segóvia.

Em 1943, um ano antes de ser ordenado padre, deixou o Seminário e seguiu para Cuba, acompanhando a cantora Lia Ray como arranjador, diretor musical e violonista. Naquele país teve a oportunidade de tocar com Perez Prado, Mongo Santamaría e Chico O´Farrel. Em 1950, mudou-se para os Estados Unidos, quando estudou música incidental com o maestro Stanley Wilson. Fez várias apresentações em Nova Iorque e gravou com Franco Rosolino, Charles Mariano, Sam Noto, Mel Lewis e Max Bennet.

De volta ao Brasil, Waltel atua como músico. Em 1959 participa do Lp “Dance Conosco”, que teve participação de João Donato. E integra o grupo Djalma Ferreira e Milionários do Ritmo, em que estão além de Ferreira, Ed Lincoln e Miltinho. Em 1960 atua como guitarrista no LP “SaxVoz- Elizabeth Cardoso e Moacyr Silva”. Integra o Trio Surdina, com o qual grava em 1963 “Trio Surdina em Bossa Nova”. Outro trabalho importante que tem sua participação é o de Meirelles e Os Copa 5, com os discos “O Som” e “O novo som” gravados em 1964 e 1965, nos quais Waltel toca com músicos como o saxofonista J. Meirelles, Roberto Menescal, Eumir Deodato, Luiz Carlos Vinhas, Manoel Gusmão, Dom Um Romão e Edison Machado. Em 1965 lança como compositor e arranjador “A turma do bom balanço”, LP que possui, entre outras presenças, de músicos importantes como Dom Salvador, Geraldo Vespar, K-Ximbinho, Edison Machado, J. Meirelles, Neco e Ed Maciel.
Dois LPs de 1963 são importantes: “Guitarra Bossa Nova”.e “Guitarras em Fogo”, ambos com participações de Baden Powell, Neco e Geraldo Vespar .Waltel Branco participa da coletânea “Violão para quem não gosta de violão”, com José da Conceição, Maurício de Oliveira e Codo, e faz a produção musical para a Orquestra Românticos de Cuba.

Com a criação da TV Globo, em 1965, Waltel torna-se diretor responsável por trilhas sonoras de novelas como “Irmãos Coragem”, “Escalada”, “O Semideus”, “Bravo”, “Moreninha”, “O Feijão e o sonho”, “A escrava Isaura”, “Supermanoela” e “Vejo a lua no céu”, além de especiais da emissora. Para as novelas, Waltel compõe, inclusive, para trilhas internacionais, sob o pseudônimo de W.Blanc. Na Rede Globo foi regente de diversos festivais, entre 1965 e 1985.

Muitos compositores criaram música em homenagem a Waltel: Radamés Gnatalli, Cláudio Santoro, Guerra Peixe, Laurindo de Almeida, José Menezes, Theodoro Nogueira, Luiz Bonfá e, recentemente, Cláudio Menandro.
Regeu diversas orquestras, entre as quais a Orquestra Jovem Santa Cecília, em Roma, a Orquestra de Cordas da CBS, a Orquestra Romanza (para a Som Livre) e a Orquestra Sinfônica de Brasília.

Waltel Branco criou arranjos para Dorival Caymmi (“Retirantes”, de Escrava Isaura), João Gilberto, Rosa Passos (o LP “Curare”), Flora Purim ( LP “Flora é MPM”), Maria Creuza, Vanusa, Zé Kéti, Peri Ribeiro (LP “Alvorada”), Carlinhos Vergueiro, Sérgio Ricardo, Dom Um Romão (LP “Dom Um”), Toni Tornado (LP “Toni Tornado”), Tim Maia (LP “Tim Maia”) , Jane Duboc ( LP “Languidez”), e Odair José, entre outros. No seu currículo constam também a produção e direção musical dos LPs de Freddy Cole e Johnny Mathis, gravados para a Som Livre.

Gravou quatro discos de música erudita. Na música popular, afora os discos para novela, destacam-se os LPs “Recital”, “Meu balanço”, “Batucada fantástica”, Mancini também é samba” e “Violão em 2 estilos”, este dividido com Rosinha de Valença. Em CD lançou “Kabiesi”, em 1997, “Naipi”, em 2002 e “Meu Novo Balanço”, em 2007, que é o relançamento de “Meu balanço” e algumas músicas inéditas. Em 2006, teve várias de suas trilhas para TV relançadas nacionalmente em CD no projeto “Som Livre Masters Trilhas”.
Serviço:
Masterclass Waltel Branco
Datas: 04 e 18 de outubro; 08 e 22 de novembro; 06 e 20 de dezembro; 10 e 24 de janeiro de 2017
Horário: 16h às 17h15
Local: Conservatório de MPB de Curitiba – Rua Mateus Leme, 66, Largo da Ordem – São Francisco
Inscrição: Secretária do Conservatório de MPB de Curitiba
Valor: dois encontros R$50

Autor: icac
Fonte: icac

Fale com a comunicação

Veja Também

Outras Notícias

Fundação Cultural define diretrizes para a 35ª Oficina de Música

Continue lendo

Informações sobre o cancelamento da 35ª Oficina de Música

Continue lendo

Veja as fotos da 34ª edição da Oficina de Música

Continue lendo

Prefeito garante recursos para realização da Oficina de Música em 2017

Continue lendo

Yamandu Costa e Naná Vasconcelos encerram a 34ª Oficina de Música

Continue lendo