Ir para conteúdo
FCC

19h17

Léa Freire, mestra da MPB, emociona o público no Teatro da Reitoria

Um concerto para ninguém ficar parado. Foi assim a apresentação da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba, nessa quinta-feira (16) no Teatro da Reitoria da UFPR. A convidada da Orquestra, a instrumentista e arranjadora Léa Freire, compôs sete das oito obras do repertório – exceto o choro “Na Boleia”, feito em sua homenagem por Gabriel Schwartz -, que passeou por vários gêneros da música brasileira. O show fez a plateia vibrar.

Léa Freire encantou os presentes com sua flauta. Uma das canções mais aplaudidas foi “Tequila”, que fez até os músicos da banda se remexerem nas cadeiras. “Essa oficina é um milagre maravilhoso, que acontece todo ano aqui em Curitiba”, disse a flautista. “Não posso mais ficar sem isso, viciei!”, brinca. E filosofa que o evento deveria ser difundido aos quatro cantos – “mas só acontece aqui. Estão todos de parabéns, só tenho a agradecer”.

A pequena Liz, de 4 meses, acompanhou com atenção o espetáculo e dormiu embalada pela música. A mãe, Priscila Ferreira, diz que a filha só acordou quando a música acabou. “Ainda na gestação, levávamos ela a vários espetáculos. Queríamos que apreciasse música desde cedo.” 

Um dos mais animados era o músico argentino Fernando Beckerman, que veio para Curitiba para participar das oficinas de pandeiro e percussão. Já participou em edições anteriores: “é sempre surpreendente, a gente nunca sabe o que vai acontecer”. São dez dias em que se conecta com a música e entra em contato com pessoas de vários lugares do mundo. “Preciso disso para ser feliz.”
Renato Lucci é compositor e acompanha a orquestra há algum tempo; e apreciou muito o que viu e ouviu: “estava fantástica”. “Sérgio Albach é muito competente, hoje, em especial, eles se superaram”. A esposa de Renato, Silvana Lucci, também gostou muito e pretende assistir alguns espetáculos. “Compramos um pacote, não queremos perder nada.” 

Um dos mais animados era Sergio Albach, diretor artístico da Oficina de MPB e diretor da Orquestra, que, de forma descontraída, contagiou a todos. Ele fala com muito carinho sobre o CD, que foi lançado na noite dessa quinta-feira “depois de muito trabalho, de muito cuidado. Agora, esta aí. Esperamos que seja um sucesso”. Sobre a oficina, Albach acredita que, mesmo em tão pouco tempo, já mostrou uma integração muito forte entre os professores. “Hoje foi o primeiro dia, ainda estamos no começo”. Mas já consegue perceber uma sinergia entre as pessoas, “isto é muito bom”.

Autor: Assessoria de Imprensa da FCC
Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Fale com a comunicação

Veja Também

Outras Notícias

Oficina de Música chega ao fim com público de 50 mil pessoas em 250 eventos

Continue lendo

Coro de 80 crianças do MusicaR participa do encerramento da Oficina

Continue lendo

Famílias se encantam com ópera ao verem filhos no palco

Continue lendo

Homenagem a Waltel Branco e mais 14 shows em bares da cidade

Continue lendo

Despedida da Oficina de Música tem de rock no parque até ópera em teatro

Continue lendo